Os 5 motivos que uma farmácia não dá lucro para o dono

231 scaled

Nesse artigo você vai entender os problemas que podem estar acontecendo no seu estoque e estão tirando parte do seu lucro.

Cada vez está mais difícil lucrar sendo dono de uma farmácia. Enquanto cada dia que passa, as pessoas consomem mais medicamentos e cosméticos, a concorrência também quer um pedaço desse bolo. Por isso, um dos maiores desafios do empresário do ramo farmacêutico é fazer sua farmácia dar um lucro que seja interessante para que ele se mantenha no mercado.

Pensar em mais lucro normalmente remete a vender mais. Porém, não se pode fechar os olhos para outros fatores que consomem a margem de lucro da farmácia e que o empresário do ramo farmacêutico precisa estar atento, caso contrário mesmo aumentando as vendas o lucro não virá.

Vender mais é importante, mas é preciso dar atenção ao gerenciamento dos produtos e medicamentos que vende e armazena na farmácia. Existem 5 fatores que é preciso saber trabalhar, porque eles podem estar levando a sua farmácia ter menos lucro, ou prejuízo. 

Se estiver com algum destes problemas, procure a G2 Sistemas. Nós podemos lhe ajudar a resolvê-los.

1. Medicamentos vencendo na prateleira

O vencimento de medicamentos é um ponto de dificuldade não só de farmácias, mas sim de qualquer estabelecimento que faça venda de produtos e que possua grande quantidade de itens controlar, principalmente de itens com baixo giro de vendas e que podem ficar esquecidos nas prateleiras.

Em casos onde a gestão do vencimento dos medicamentos não é realizada da forma correta, os itens vencidos acabam sendo identificados apenas no ato de uma venda ou até mesmo encontrados por um cliente na prateleira, podendo gerar transtornos ao estabelecimento. Além disso, o vencimento é uma perda direta, e está extremamente ligado a gestão de compras e do estoque, já que pode ser um sinal de produtos em excesso, que não são vendidos a tempo de vencer. Até mesmo pode representar uma necessidade de uma melhor abordagem na venda, ou de exposição dos produtos.

Se você tem medicamentos que vencem na prateleira, precisa estar atento para o quanto isto representa nas suas vendas. Por exemplo, reduzir de 10% para 5% de medicamentos que vencem em uma farmácia que fatura R$50.000 por mês, significa em torno de R$2.500 reais a mais de lucro no final do mês.

Vale ressaltar que a venda de medicamentos vencidos é crime, portanto o cuidado deve ser redobrado e constante.

2. Excesso de estoque de medicamentos

O excesso em determinados itens no estoque, é um dos principais erros cometidos no controle de mercadorias de uma farmácia, quando a gestão de estoque não está sendo feita de forma correta. A compra de produtos em excesso acontece quando não há o devido planejamento e acaba gerando para o estabelecimento problemas como: 

  • Estoque parado, que nada mais é do que dinheiro que não está girando em seu negócio e assim, pode estar impactando diretamente nas vendas de outros produtos que poderiam ser expostos;
  • Maior probabilidade de vencer, porque a compra em excesso deixa o produto mais tempo guardado e demora mais seu giro, em muitos casos sendo necessário uma promoção para fazer girar;
  • Ocupação de prateleira e de estoque, no lugar de outro produto que poderia estar sendo ocupado e exposto para o cliente.

Outro fator de atenção são as oportunidades de compras oferecidas por fornecedores em maiores volumes para aproveitar bons preços. Normalmente, são maiores do que seu histórico de vendas e devem ser sempre avaliados, sendo importante sempre considerar seu histórico, as sazonalidades e outras informações que podem auxiliar nessas tomadas de decisão. É sempre importante avaliar se os volumes de compras são coerentes com a realidade da sua farmácia. 

Uma compra feita em excesso, que pode ser enxergada como uma oportunidade no começo, pode ser apenas o início de um ciclo de problemas que fará seu dinheiro ficar parado no estoque.

3. Preço do produto definido sem uma técnica

O tratamento do preço de venda dos medicamentos deve ser feito da maneira correta e metodológica, não com base em chutes ou padrões. Isso porque uma boa margem é chave para sobrar dinheiro no final do mês na farmácia.

Para saber o preço certo do medicamento, é preciso estar atento ao mercado e fazer o dever de casa. Isso significa: pesquisar o preço nas outras farmácias da região, avaliar tabelas de fornecedores e o mais importante, a compreensão do custo do seu negócio e o que é necessário para vender cada produto obtendo uma lucratividade inteligente.

Uma estratégia muito interessante para a farmácia que tem conhecimento dos itens que possuem mais margem para o estabelecimento, é preparar sua abordagem com o cliente corretamente, de forma que leve em consideração os produtos certos que vão trazer a maior margem para a farmácia.

Outro ponto que pode auxiliar no equilíbrio da busca pela lucratividade, é avaliar itens que podem ser adicionados a suas prateleiras e que podem ser ofertados chamando seu cliente para farmácia.

Todas essas estratégias requerem ter informações sobre as margens dos seus medicamentos e produtos, ṕois assim toma-se melhores decisões e aumenta muito a competitividade.

4. Falta de produtos no estoque

Assim como a compra de quantidades em excesso é uma grande vilã do dinheiro da farmácia, a falta de produtos também pode trazer problemas, já que quando um cliente não encontra um produto que está habituado a comprar na sua farmácia, ele vai procurar no concorrente.

Quando isso acontece, você estará abrindo espaço para que outra farmácia entre na vida do seu cliente, perdendo ele para a concorrência. Quando falamos principalmente de uma necessidade de compra de remédios, estamos lidando com algo imediato e específico, o cliente não irá esperar.

O conhecimento sobre os hábitos da sua clientela, pode te mostrar quais e quantos itens têm maior relevância para a farmácia, assim você reduz a quantidade de vendas perdidas e consequentemente, aumenta o lucro da farmácia.

5. Mix de produtos errado e sem planejamento

O mix de produtos é a composição da variedade de itens que tem na farmácia.

Essa quantidade e variedade de itens cadastrados em seu estabelecimento também é um ponto ligado diretamente a sua lucratividade. Nada adianta ter gôndolas e balcões cheios de produtos que não estão de acordo com o perfil de seus clientes, que não irão vender. 

O perfil da farmácia pode dizer muito sobre como tratar a variedade de itens. Existem farmácias que apostam em uma grande variedade de produtos sempre à disposição, enquanto outras são mais enxutas e apostam em uma variedade básica sempre disponível.

É importante saber que quanto mais produtos disponíveis na prateleira, maior a quantidade de dinheiro utilizado para manter o estoque. Se o giro desses produtos não é suficiente para manter a variedade, o resultado é mais recursos parados e consequentemente menos dinheiro em caixa.

Assim como a definição da quantidade de itens cadastrados também está ligado ao perfil de compras, é sempre importante entender a região que está inserido, o perfil de compras dos clientes e como estão os preços dos seus concorrentes nos produtos do seu mix. 

Como é possível tratar os problemas?

O proprietário da farmácia precisa ter nas mãos informações sobre seu estoque, os produtos e suas margens praticadas. Sem isso, não é possível saber a real lucratividade e quais são as oportunidades que estão dentro da própria empresa. 

Atuar melhorando a gestão dos produtos e do estoque significa fazer a farmácia lucrar mais sem depender de vender mais. Principalmente quando a concorrência aumenta, quem tem o melhor gerenciamento das suas atividades e dos seus produtos sai na frente.

A G2 Sistemas ajuda farmácias a trabalhar melhor a gestão de medicamentos e produtos, formação de preço e controle de vencimentos. Fale com a nossa equipe enviando uma mensagem clicando aqui, ou ligue nos telefones: (89) 3422-5133 / (89) 99929-5020 / (89) 99405-1577

Leave A Comment

What’s happening in your mind about this post !

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *